‘Acho que ainda não há segurança, portanto, a gente vai aguardar um pouco mais para decidir’, afirmou governador.

Após oito municípios baianos dispensarem o uso de máscaras em locais abertos e o prefeito de Salvador, Bruno Reis (UB), sinalizar favorável à medida na capital, o governador Rui Costa (PT) descartou acabar com a obrigatoriedade do item de segurança na Bahia, neste momento, e pediu cautela.

“Nós vamos acompanhar, nós ainda temos cerca de 1.500 pessoas contaminadas, e temos cerca de 110 pacientes ainda na UTI. Significa que o vírus ainda está circulando. 1500 pessoas, já que os municípios praticamente não estão fazendo mais exame, significa que o número é maior do que esse, já que não faz exame”, argumentou o petista, nesta terça-feira (29).

Reforçando a importância da vacina para a diminuição dos casos mais graves, Rui insistiu em “aguardar ainda um pouco mais os números baixarem” para que o governo tome uma decisão sobre a liberação ou não das máscaras.

Questionado sobre se os prefeitos que desobrigaram o item em suas cidades estariam descumprindo decreto estadual, Rui Costa negou. “Não, não está indo contra. Eu acho que, assim, o julgamento do STF [Supremo Tribunal Federal] dá liberdade para os entes federados tomarem a decisão”, argumentou o governador, que disse não querer “criar polêmica” em torno do assunto e reafirmou que só irá flexibilizar “quando entender que é seguro para população”.

“Se algum prefeito ou prefeita considera seguro, ele está tomando a medida. Eu acho que ainda não há segurança, portanto, a gente vai aguardar um pouco mais para decidir”, concluiu Rui.

Foto: Mattheus Miranda / Bahia.Ba.
Fonte: Bahia/ba (Jamile Amine / Mattheus Miranda).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.