Os dados de mais de 300 mil usuários do Mercado Livre foram alvo de um vazamento confirmado na tarde desta segunda-feira (7). De acordo com a empresa, a falha se deu após um acesso indevido ao código-fonte do site, que foi constatado pelo setor de segurança da informação da companhia.
De acordo com o Mercado Livre, apesar do vazamento, não foram encontrados indícios de comprometimento nos sistemas de infraestrutura. A empresa informou que senhas de usuário, saldos em conta, investimentos, informações financeiras ou de cartões de crédito e débito estão seguras.
Hoje, o Mercado Livre é a maior plataforma de e-commerce da América Latina, com mais de 140 milhões de usuários únicos. Com o vazamento de dados, a empresa se juntou ao Itaú e ao Nubank, que também passaram por problemas com tecnologia e exposição de dados nos últimos dias.

Amplo crescimento na América Latina
Apesar de assustar, o vazamento de dados do Mercado Livre não deve fazer efeito sobre a trajetória de crescimento da empresa. A empresa teve uma receita líquida de US$ 2,1 bilhões só no quarto trimestre de 2021, o que significa um crescimento de 60,5% no volume de vendas no comparativo com 2020.
Só no Brasil, que representa 53% do faturamento da empresa em nível mundial, a empresa cresceu seu faturamento em 56% em dólares e 62,4% em reais. Para alavancar ainda mais o crescimento, o Mercado Livre deve inaugurar mais quatro centros de distribuição no estado de São Paulo ainda em 2022.
Esse crescimento, em grande parte, foi impulsionado pela pandemia da Covid-19, que gerou uma grande necessidade de isolamento social e aumentou a preferência e a confiança dos consumidores em comprar pela internet, mesmo para aqueles que não tinham o hábito de fazer compras por esse canal.

Via: Reuters.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.